dores nas costasdores nas costas
home
imagem
quem somos
imagem
dor nas costas
imagem
causas e fatores de risco
imagem
coluna vertebral
coluna vertebral
imagem

Anatomia da Coluna Vertebral

imagem

Bico de Papagaio

imagem

Músculos

imagem
Funcionamento da Coluna
imagem
osteoporose
Osteoporose
imagem
diagnósticos
imagem
tratamentos
imagem
exercícios
imagem
cirurgias
imagem
conselhos e dicas
imagem
dúvidas frequentes
imagem
contato



Coluna Vertebral

Osteoporose

A Osteoporose é uma doença do esqueleto caracterizada por uma baixa da massa óssea, que produz fragilidade dos ossos com o consequente aumento do risco de fraturas.

A palavra Osteoporose significa “osso poroso” – osso mineralizado, porém em menor quantidade – osso com menos cálcio.

Estatísticas americanas mostram que em 2006, dez milhões de americanos com mais de 50 anos apresentavam osteoporose e com a incidência de fraturas de 1,5 milhões de pessoas a cada ano. Outras estatísticas inglesas mostram que, de cada duas mulheres com mais de 50 anos, uma poderá ter uma fratura por Osteoporose durante os anos restantes da sua vida; já no homem, esses números são menores e a incidência de fraturas cai para um em cada cinco.

O aparecimento da osteoporose é gradativo, e nos casos mais leves é chamada de OSTEOPENIA.

A causa mais comum de OSTEOPOROSE é a Osteoporose da Menopausa. (Todos os nossos comentários sobre Osteoporose se referem à Osteoporose da Menopausa).

Nota: Existem outras causas de Osteoporose, como a produzida pelo uso da CORTISONA, usada para tratamento de doenças como Asma, Artrite Reumatóide, Lupus Eritematoso, Miastenia etc.

Somente nos Estados Unidos o custo do tratamento das fraturas por Osteoporose chegou a cerca de 18 bilhões de dólares por ano (2006). A Osteoporose, portanto, constitui-se não só em um problema de saúde, mas também de economia.

As fraturas mais comuns por osteoporose são: fraturas do colo do fêmur, da coluna e do punho. Referente às fraturas das coluna, temos a destacar:

  1. Muitas das fraturas são assintomáticas, isto é, existe um achatamento da vértebra de pequena monta e que não causa dor. Nas fraturas com maior achatamento vertebral as dores podem ser muito intensas.
  2. A maioria das fraturas ocorrem nas mulheres durante a sua atividade da vida diária, como: abaixar-se para pegar alguma coisa no solo ou uma flexão brusca do tronco e, por último, por queda. Estatisticamente, quanto maior for a idade, maior será a chance de fraturas, que cresce numericamente a partir dos 60 anos;
  3. A Osteoporose em si NÃO CAUSA DOR – o que dói é a fratura ou as microfraturas, que podem estar associadas ou não a outros problemas;
  4. AS DORES NAS COSTAS PODEM SURGIR EM PACIENTES COM OSTEOPENIA – OSTEROPOROSE E PODEM SER TRATADAS TAMBÉM COM EXERCÍCIOS. O IMPORTANTE É O DIAGNÓSTICO CORRETO FEITO POR ESPECIALISTA COMPETENTE E A INDICAÇÃO E EXECUÇÃO DE EXERCÍCIOS BEM DOSADOS;
  5. Os melhores exercícios para Dor nas Costas em pessoas que têm Osteopenia-Osteoporose são os EXERCÍCIOS ISOMÉTRICOS, BICICLETA ESTACIONÁRIA, NATAÇÃO, ANDAR NORMALMENTE DE 20 A 40 MINUTOS POR DIA, SEMPRE SOB ORIENTAÇÃO DO ESPECIALISTA;
  6. Algumas explicações médicas superficiais sobre a Osteoporose:

a) A Osteoporose surge de forma leve e aumenta lenta e gradativamente em mulheres após a MENOPAUSA. Quanto mais cedo surgir a menopausa, mais cedo surgirá a Osteopenia-Osteoporose;

b) O que causa o problema na mulher é a falta do hormônio ESTRÓGENO secretado pelos ovários (a menopausa representa a parada da fabricação do hormônio pelo ovário);

c) O Estrógeno, além de outras funções, tem a propriedade de inibir a ação das células ósseas chamadas de OSTEOCLASTOS, que tiram o cálcio do osso. Normalmente antes da menopausa a ação do osteoclasto é contrabalançada pela ação do OSTEOBLASTO (que mantem o cálcio no osso). Com a menopausa, a falta do estrógeno deixa o osteoclasto mais livre, que lentamente vai ganhando a batalha contra o osteoblasto. Existem outras dezenas de reações químicas e biológicas no metabolismo ósseo que são altamente complexas e de difícil entendimento, mesmo para médicos; mas a relação osteoclasto-osteoblasto é a mais importante. Vale lembrar que a ação do osteoclasto é fundamental para a nossa vida, pois ao retirar o cálcio do osso ele injeta cálcio na circulação sanguínea, permitindo a normalidade do que chamamos de HOMEOSTASE DO CÁLCIO, fundamental no controle de mecanismos imprescindíveis para a vida, como batimentos cardíacos, coagulação do sangue, contração muscular etc.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DA OSTEOPOROSE?

Através de radiografias da coluna, bacia, quadris e punho principalmente. Atualmente é muito usado o exame de DENSITOMETRIA ÓSSEA (que mede a densidade óssea da coluna e dos quadris). Esse exame permite concluir se o paciente tem densidade óssea normal, osteopenia ou osteoporose.

d) COMO PREVENIR A OSTEOPOROSE?

d1) A reposição hormonal através da prescrição de estrógenos pode ser indicada, mas é altamente discutível. Exige controles médicos rigorosos, com exames periódicos. A investigação de câncer na família deve ser pesquisada exaustivamente. Somente um especialista competente pode decidir sobre a prescrição de terapia de reposição hormonal;

d1.2) Tomar Sol diariamente por, pelo menos, meia hora; principalmente o SOL da manhã.

d1.3) Vida saudável, andar, nadar pelo menos 3 a 4 vezes por semana. Não fumar e não abusar de bebidas alcoólicas. Alimentação saudável com alimentos ricos em cálcio, como Leite Semidesnatado, Iogurtes, Carnes brancas (a ingestão de proteínas na proporção de 1 grama por quilograma de peso por dia), associada, evidentemente, a frutas, legumes e verduras;

d1.4) Medicamentos: Cálcio e Vitamina D, principalmente. A ingestão desses dois medicamentos varia com a idade. Cálcio, 1,2 g ao dia após os 50 anos de idade. Quanto à Vitamina D, até os 50 anos, 200 unidades internacionais (UI) ao dia; e dos 50 aos 70 anos, 400 UI ao dia; acima dos 70 anos, 600 UI por dia. Evidentemente essa medicação deve ter controle médico. A Vitamina D é fabricada na pele pela ação do Sol e ao cair na circulação sanguínea facilita no intestino a absorção do cálcio ingerido na alimentação.

BIFOSFONADOS:

Os bifosfonados (compostos sintéticos que contem na sua molécula fosfato e carbono), aprovados pelo FDA (Food And Drug Administration) dos Estados Unidos, apresentam uma satisfatória eficácia na prevenção da osteoporose causada pela idade (pós menopausa), deficiência de estrogénos, uso da cortisona e também para prevenir fraturas nas mulheres e homens.
Existem três bifosfonados em uso atualmente: alendronato, risedronato e ibandronato.
A sua prescrição só deve ser feita por especialista.

d1.5) Finalmente, os EXERCÍCIOS, como já afirmamos no item d1.3. Os exercícios como andar diariamente (se possível, na velocidade que pode variar de 2 a 6 km/h) respirando ar puro é de fundamental importância na cadeia de procedimentos para prevenir a Osteoporose de forma satisfatória. O uso de bicicleta estacionária, associada a exercícios de alongamento e contração muscular isométrica também são importantes. Com relação ao andar, preferimos pista à esteira rolante estacionária. O andar e os exercícios em geral, sempre bem dosados, aumentam a força muscular, facilitam a circulação sanguínea com melhor retorno do sangue ao coração, estimulam a contração da musculatura cardíaca, facilitando a circulação cardiopulmonar e, por último, mas não menos importante, conforme artigo publicado na revista Scientific American de dezembro de 2010 - (Cristine Gorman – The Heart Brain Connection – Scientific American, pág 16, December 2010):
os exercícios e a atividade cardíaca estimulam fatores de crescimento que aumentam a formação de novos neurônios em regiões específicas do cérebro que regulam a MEMÓRIA e o APRENDIZADO. Mais informações pelo site da revista Scientific American.


© Copyright 2011 – Dores nas Costas – Todos os direitos reservados.

As informações contidas neste site devem ser usadas como orientação ao internauta e não tem a intenção de substituir a relação médico-paciente.
Este site segue o Código de Conduta da Health On the Net Foundationhealth on the net foundation